Terceirão: Primeira aula de História do ano

Publicado por Caroline Dähne em

Semana pedagógica, é tempo de planejar as aulas do novo ano, cada série/ano tem um encaminhamento específico, e quando falamos do famoso terceirão, ou terceiro ano do Ensino Médio, isso não é diferente.

Independente do recorte de conteúdo programático que sua escola estipula, nós enquanto professores precisamos usar algum tempinho ao longo desse período para esclarecer as dúvidas dos alunos sobre como História é cobrada nas provas do Enem, vestibulares e concursos públicos.

É nesse sentido de estimular os alunos do terceirão, que eu trouxe algumas dicas para que nós professores de história possamos contribuir para que eles conquistem seus objetivos.

Post para o instagram com imagem de alunos do terceirão sentados anotando algo em cadernos, e o título da postagem.

Primeira aula de História para o terceirão

Obviamente que não é só no primeiro dia de aula que iremos comentar sobre a temática dos processos seletivos, isso é algo que durante o Ensino Médio precisa ser ressaltado sempre. Isso porque, é evidente que muitos dos nossos alunos almejam após essa etapa de ensino entrar para uma graduação.

E mesmo aqueles que não tem o interesse imediato por ingressar no Ensino Superior, podem se beneficiar das dicas até mesmo para concursos públicos. Afinal História é uma das disciplinas que, na maioria das vezes, é cobrada na parte dos conhecimentos gerais.

Esclarecendo os alunos do terceirão

Sempre que vou iniciar minha aula no terceirão, eu procuro perguntar se os alunos sabem como funciona o Enem e os vestibulares. Nessa conversa informal no início da aula, eu faço um levantamento das dúvidas deles e começo a esclarecer algumas delas.

Nisso se inclui, como é a prova, que etapas ocorrem, no que eles podem usar a nota, quais universidades públicas existem na região, entre outras coisas.

Editais dos vestibulares

Obviamente que para falar sobre isso eu estou sempre atenta aos editais das universidades, principalmente acompanhando os temas que tendem a ser cobrados com mais frequência para dar ênfase neles durante as aulas.

Outra coisa que costumo fazer, é estimular para que eles leiam em casa esses editais e revisem os conteúdos que são solicitados, principalmente em História.

Tempo

Uma observação, porque eu apenas falo sobre os editais de universidades públicas: eu trabalho em Curitiba, lá existem inúmeras universidades particulares, então por questão de tempo para realizar a leitura de diferentes editais, eu opto por falar sobre os vestibulares da UFPR, UTFPR e as Universidades Estaduais do Paraná.

Em relação a faculdades particulares, eu trabalho de maneira geral com meus alunos, principalmente incluindo nas atividades questões de vestibulares de anos anteriores das instituições mais próximas ou de maior interesse deles.

É claro que como professores nós desenvolvemos várias atividades complementares além da sala de aula, mas quem atua no Ensino Médio precisa estar atento ao básico referente a esses processos seletivos. Não só pelas cobranças de resultados feitas pelas escolas, mas principalmente para contribuir com o desempenho dos alunos. 

Competências/habilidades

Por não saber como funciona a prova do Enem, muitos alunos acreditam que basta apenas decorar os conteúdos de História que irão bem na prova. Na primeira aula do ano, eu costumo explicar o que são as Competências e Habilidades e como elas estão interligadas com o nosso conteúdo.

O objetivo aqui é que eles percebam a amplitude do conhecimento histórico, para isso, eu geralmente escolho umas duas competências e habilidades que são cobrados em História no Enem e vou pedindo para que eles pensem em exemplos de conteúdos que podem ser aplicados aquelas competências. Por exemplo:

H11 – Identificar registros de práticas de grupos sociais no tempo e no espaço.

Eu pergunto em que tipos de atividades eu poderia cobrar sobre isso. Geralmente, nesta habilidade, as respostas são análise de imagens e comparação de textos.

Competência de área 2 – Compreender as transformações dos espaços geográficos como produto das relações socioeconômicas e culturais de poder.

Eu pergunto quais temas eles conseguem relacionar com essa competência. Geralmente os mais comuns são: criação dos Estados Nacionais, pós Guerras Mundiais, Conquista da América, Imperialismo.

Como entender Competência e Habilidade?

Se você é professor e não sabe como funcionam as Competências e Habilidades, imagine a seguinte situação: 

Quando você vai aprender a dirigir, vai aprender aos poucos, como ler as placas de trânsito, como estacionar, como ligar o carro. Esse conhecimento que você vai aprendendo a colocar em prática aos poucos são habilidades.

Quando você vai dirigir pela primeira vez e precisa utilizar todas essas habilidades em prática e se vê diante de uma situação problema que precisa usar esse conhecimento e obtém sucesso, você se torna competente para dirigir.

Pensando em sala de aula, a habilidade de analisar um gráfico pode ser utilizada para interpretar uma questão que requer a compreensão das mudanças sociais que ocorreram de um período para o outro. Quando o aluno usa essa habilidade e consegue responder a questão corretamente, ele desenvolveu aquela competência.

E isso significa que ele está apto para interpretar esse tipo de questões mesmo que não domine totalmente um conteúdo específico, ou seja, mesmo sem a famosa “decoreba”.

A matriz de referência das Competências e Habilidades cobradas no Enem está disponível em: http://download.inep.gov.br/download/enem/matriz_referencia.pdf

Competências e Habilidades para o Terceirão

Outra coisa que costumo fazer é levar uma questão de algum Enem passado e mostrar como a competência e a habilidade está sendo cobrada. Assim na prática, eles podem perceber o que se espera que eles consigam responder. Por exemplo:

Eu projeto essa questão:

Saliento que ela está com alguns distratores, respostas corretas mas que não respondem o que a pergunta está pedindo, e demonstro como é necessário saber interpretar imagens, ou seja, ter a habilidade de:

H1 – Interpretar historicamente e/ou geograficamente fontes documentais acerca de aspectos da cultura. 

Temas que completarão aniversário em 2020

Em todos os anos, as datas que estão completando aniversários terminados em 0, 10 anos, 50 anos, 100 anos, 500 anos, etc, são comumente cobradas nos vestibulares e no Enem. Isso porque, centenários e datas do gênero são importantes marcos na história e estão em evidência.

Então todo início de ano, eu pesquiso datas que estão nesse aspecto e saliento elas em minhas aulas. Por exemplo, em 2017 avisei meus alunos sobre a Revolução Russa (centenário), em 2018 sobre a Constituição Brasileira de 1988 (30 anos) e no ano passado 2019 sobre a Chegada do Homem a Lua. Todos esses temas foram cobrados em vestibulares de universidades públicas e particulares.

É óbvio que alguns acabam ficando de fora, mas é uma aposta que geralmente funciona. Ano passado eu escrevi alguns textos aqui para o blog sobre as temáticas aniversariantes, esse ano pretendo fazer o mesmo.

Rotina de estudos

Outra dica que dou para os alunos do terceirão já no primeiro dia de aula é sobre a criação de uma rotina de estudos. Todos, enquanto professores, sabemos que quanto mais concorrido o vestibular para determinados cursos de graduação, mais é necessário a criação de estratégias para além da sala de aula.

Nesse sentido, eu estimulo que meus alunos percebam quais são suas melhores formas de aprender, é importante lembrar que o sucesso de cada técnica de estudo varia de acordo com cada aluno. Aqui no blog temos diversos textos com dicas de técnicas para contribuir com o aprendizado, como o uso de marca texto, a criação de Mapas Mentais e o uso de cores e associação de significados.

Sobre o desenvolvimento de uma rotina de estudos temos o seguinte texto que contribui com algumas dicas.

Questões dissertativas

Algumas universidades não utilizam apenas questões de múltipla escolha, que é o caso da UFPR, então eu costumo salientar para meus alunos do terceirão a importância de se dedicar no desenvolvimento de habilidades de escrita.

Nesse sentido, ao longo do ano eu realizo várias atividades de análise de textos de historiadores, para desenvolver a interpretação de textos. E várias questões dissertativas para treinar a escrita, sempre que possível dou um feedback das respostas, apontando o que pode melhorar.

Também temos um texto aqui que pode ajudar na elaboração de respostas para questões dissertativas.

Ao longo do ano

Obviamente que em virtude do tempo disponível para as aulas e o conteúdo programado, muitos professores vão achar complicado abrir mão de uma aula inteira só para falar sobre esses assuntos. Então a minha dica é, trabalhe esses aspectos ao longo do ano.

Com o decorrer dos temas e atividades, você pode incluir aos poucos vários aspectos nas suas aulas que podem contribuir para um melhor desempenho dos seus alunos. Tais como:

Interdisciplinaridade 

É importante desenvolver atividades conjuntas com outras disciplinas, se na sua escola isso não for possível como meio formal de atividade avaliativa, converse com professores de áreas afins. Troque ideias, combine atividades que se complementem, dessa forma quando teu aluno for fazer uma prova do Enem ele estará familiarizado com questões interdisciplinares. 

Incluir atividades de Enem/vestibulares

Seja nas listas de exercícios para desenvolver em sala de aula, tarefas de casa ou até mesmo em avaliações. Dessa forma, com a retomada e o direcionamento feitos pelo professor, os alunos vão desenvolver a familiaridade com esse tipo de questões.

Levar textos

Mais do que falar sobre o conteúdo programático, o trabalho com fontes históricas enriquece as aulas, já que os alunos estarão desenvolvendo novas habilidades de análise.

Nesse sentido, eu sempre levo trechos de livros de historiadores para que os alunos analisem em sala, assim eles também se acostumam com a leitura de textos em linguagem acadêmica.

Análise de imagens

Embora o último Enem tenha rompido com a tradição, a maioria das provas já realizadas do exame, assim como os vestibulares de universidades públicas, sempre trazem análise de imagens nas questões de Ciências Humanas.

O trabalho com imagens nas aulas de história nos últimos anos vem crescendo, mas é importante utilizá-las para além da simples ilustração, e desenvolver um trabalho sério de análise conjuntamente com os alunos.

Dessa forma, incluir pinturas, fotografias, histórias em quadrinhos, charges e outras fontes imagéticas contribuem para uma aula mais completa e o desenvolvimento de habilidades de análise.

Indicar onde estudar

Por mais que nós professores sempre tentemos vencer o conteúdo, sempre vai ficar faltando alguma coisa, ou ficará faltando se aprofundar em algum tema. Nesse sentido, nós enquanto professores, costumamos conhecer mais livros, sites, canais do YouTube que falam sobre História. Então é bacana já no início do ano indicarmos eles para os alunos.

Eu costumo no primeiro dia de aula já divulgar uma lista com as minhas indicações, e sempre incluo algumas dicas que os alunos me passam de materiais de estudos que eles utilizam.

Atividade Competência e Habilidade: criação de pergunta modelo Enem

Nada melhor para aprender a estrutura de uma questão de Enem do que elaborar uma. Então, todo ano, eu desenvolvo uma atividade avaliativa com meus alunos do terceirão, na qual sorteio temas referentes ao trimestre e eles têm que desenvolver uma atividade de elaboração de questões modelo Enem. Inclusive utilizando competências e Habilidades.

Em breve escreverei uma publicação aqui sobre como desenvolvo essa atividade e quais critérios eu costumo avaliar.

Incentivo ao terceirão

Obviamente que parece um monte de coisa, e é. Mas sendo incluso ao longo do ano fica possível de ser trabalhado juntamente com o conteúdo programado.

O importante é nos lembrarmos de sempre incentivar nossos alunos a conquistarem seus sonhos e inclusive ampliar seus horizontes para outras possibilidades. Lembre-se sempre de ser o professor que você gostaria de ter tido 😉

Desejamos um ótimo início de ano letivo a todos os nossos colegas professores e esperamos contar com vocês em mais um ano nos acompanhando aqui no site e agora também no nosso canal no YouTube voltado ao ensino de História. 😉


Caroline Dähne

Mestre em História, Cultura e Identidades e graduada em Licenciatura em História pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Desenvolve pesquisas relacionadas a Segunda Guerra Mundial, Discursos jornalísticos, Patriotismo e Nacionalismo, Imprensa brasileira e Propagandas de guerra. Atualmente atua como professora de História na rede particular de ensino na cidade de Curitiba-PR.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *