Mulheres: Origens da celebração no dia 08 de março

Publicado por Caroline Dähne em

Amanhã se celebra em vários lugares do mundo o Dia Internacional das Mulheres. Uma data normalmente envolta em polêmicas, já que muitas vezes é lembrada, principalmente pelo comércio, como uma data voltada à produtos normalmente relacionados com o público feminino, como maquiagens e flores.

No entanto, a maioria das mulheres, prefere reforçar o sentido original da data, muito mais do que um dia para receber mimos, “parabéns” e descontos nesses produtos, o 08 de março simboliza a luta feminina através do tempo para alcançar um lugar de igualdade.

Nesse sentido, são muitas as explicações para o surgimento do Dia das Mulheres, algumas mais populares, outras não muito conhecidas. Assim, abaixo, trazemos algumas considerações sobre movimentos que colaboraram para a escolha desse dia.

As lutas das mulheres através do tempo

Certamente, é fato que as lutas das mulheres em busca de uma sociedade mais igualitária são anteriores ao século XX. Inclusive participando ou protagonizando diversas Revoluções ao longo dos séculos nos mais variados lugares pelo mundo.

No entanto, foi no início do século XX que aconteceram os principais movimentos que culminaram na escolha do dia 08 de março. Com cada vez mais mulheres entrando para o mercado de trabalho nas indústrias, as lutas pelas melhores condições de trabalho impulsionaram a luta pelos direitos femininos.

Movimento Operário de Mulheres no século XX

Em diversos países no início do século XX várias mulheres foram para as ruas em busca de direitos trabalhistas, direito ao voto e igualdade. Esses movimentos certamente deram destaque à luta feminina e contribuíram para o surgimento de diversas celebrações chamadas de “Dia da Mulher” que aconteciam em diferentes datas ao longo do ano.

Manifestação de Mulheres nos EUA em 1908

Uma das primeiras vezes que o termo “Dia das Mulheres” foi utilizado e associado ao movimento operário nesse período, foi em fevereiro de 1908 nos EUA. Quando um grupo de mulheres fizeram uma manifestação em busca de melhores condições de trabalho e o direito de voto. O movimento reuniu cerca de 1500 mulheres, de acordo com Blay (2001), chegando a reunir 2 mil no ano seguinte.

Greve de trabalhadoras da indústria do vestuário nos EUA em 1910

Em  de 1910, cerca de 15 mil trabalhadores do setor têxtil se mobilizaram em uma greve que pedia melhorias nas condições de trabalho. Grande parte das participantes eram jovens mulheres. A greve se encerrou em fevereiro daquele ano, após 13 semanas de manifestações, tendo algumas de suas reivindicações atendidas.

II Congresso Internacional de Mulheres Socialistas, Dinamarca 1910

Durante a realização do II Congresso Internacional de Mulheres Socialistas em Copenhague em 1910, a professora Clara Zetkin, uma das líderes do movimento comunista na Alemanha, sugeriu a criação de uma data para ser celebrado o Dia das Mulheres. No entanto, apesar da proposta ser bem recebida, na reunião não foi determinada uma data precisa para essa celebração.

Incêndio da fábrica Triangle Shirtwaist Company, EUA 1911

Em 25 de março de 1911, aconteceu um grande incêndio na fábrica têxtil The Triangle Shirtwaist Company em Nova York nos EUA. Na fábrica, a maioria dos trabalhadores eram mulheres entre os 16 e 24 anos. O que contribuiu para que a maioria dos mortos no incêndio fossem mulheres (123 de 146 mortos).

Embora tradicionalmente as pessoas apontem que o incêndio teria supostamente causas criminosas, o fato da porta da fábrica estar fechada na hora era devido a um costume comum da época, em que os donos deixavam os trabalhadores trancados durante o expediente para tentar impedir movimentos de greves.

Essa certamente é a origem mais conhecida popularmente, porém o incêndio não foi a origem da celebração do Dia da Mulher. Aliás, Gonzáles (2010), salienta que existem vários boatos sobre diferentes incêndios e datas (por exemplo em 1857 ou 1908) como o responsável pela origem da data. Segundo a autora, os incêndios em fábricas na época não eram fatos isolados, devido às péssimas condições das suas estruturas.

Pão e Rosas, EUA 1912

Em Massachusetts, ocorreu uma nova greve em janeiro de 1912, nela cerca de 20 mil trabalhadoras da indústria têxtil se manifestaram em prol de melhores condições de trabalho e de qualidade de vida, manifestadas no bordão “Pão e Rosas”.

A greve desencadeou confrontos com as autoridades policiais e no final resultou no acordo para o atendimento de algumas de suas reividnicações.  

Revolução Russa, 1917

Antes da famosa Revolução ocorrida na Rússia em outubro de 1917 que levou os Bolcheviques ao poder, aconteceu um movimento revolucionário em fevereiro daquele mesmo ano. 

Esse movimento teve como protagonistas inicialmente as mulheres russas,  que saíram no dia 23 de fevereiro (08 de março no calendário gregoriano) às ruas de Petrogrado em protestos à participação do país na Primeira Guerra Mundial. De acordo com Gonzáles (2010), a maioria dessas mulheres tinha se transformado em chefes de família, uma vez que seus maridos estavam lutando na guerra. 

O movimento chegou a reunir cerca de 190 mil mulheres que se manifestaram exigindo “Pão! Nossos filhos estão morrendo de fome!” (GONZÁLES, 2010, p. 130).

ONU, 1975 e 1977

A escolha oficial da data de 08 de março só aconteceu na década de 1970. Quando a Organização das Nações Unidas reconheceu o dia para a busca pelos Direitos das Mulheres. Isso, numa forte influência dos movimentos feministas daquele contexto.  

Dia das Mulheres: Diversas inspirações

A escolha do dia 08 de março para a celebração do Dia Internacional da Mulher certamente não se deve a somente um fato isolado. Assim, não há um consenso na historiografia sobre qual movimento realmente influenciou a escolha da data. 

Embora muitos dos eventos listados tenham ocorrido em dias ou meses diferentes, foi a luta de diversas mulheres em muitos lugares do mundo que propiciaram a criação deste dia.

Portanto, independente de qual marco foi o responsável pela escolha deste dia, o Dia Internacional das Mulheres surgiu como uma luta política pelos direitos de voto, de qualidade de trabalho e de vida, assim como pela igualdade. Ou seja, a data surgiu através do protagonismo feminino.

Esquema

Assim, se você professora ou professor está pensando em falar sobre isso amanhã em sua aula, segue abaixo um esqueminha que elaboramos com base no resumo dessas informações do texto. Você também o encontra no nosso instagram @nastramasdeclio, aproveite e nos siga para acompanhar nossas postagens.

Nesse sentido, você está procurando mais sobre o assunto? Temos várias publicações sobre História das Mulheres aqui no site, fique a vontade para conhecer.

Referências Bibliográficas:

BLAY, Eva Alterman. 8 de março: conquistas e controvérsias. Florianópolis: Revista Estudos Feministas, v.9, n.2, 2001. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-026X2001000200016&script=sci_abstract&tlng=pt 

GONZÁLEZ, Ana Isabel Álvarez. As origens e a comemoração do Dia Internacional das Mulheres. Editora Expressão Popular. São Paulo: 2010. 

Nações Unidas. Dia Internacional da Mulher: Porque é que ainda se celebra este dia.  2020. Disponível em: https://unric.org/pt/dia-internacional-da-mulher-porque-e-que-ainda-se-celebra-este-dia/ 


Caroline Dähne

Mestre em História, Cultura e Identidades e graduada em Licenciatura em História pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Desenvolve pesquisas relacionadas a Segunda Guerra Mundial, Discursos jornalísticos, Patriotismo e Nacionalismo, Imprensa brasileira e Propagandas de guerra. Atualmente atua como professora de História na rede particular de ensino na cidade de Curitiba-PR.

2 comentários

GUSTAVO · 22/03/2021 às 08:14

BELO TRABALHO, TERIA COMO DISPONIBILIZAR SLIDE?

    Caroline Dähne · 05/04/2021 às 11:15

    Olá Gustavo, as imagens que estão em anexo podem ser utilizadas como slides 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *