Ensino Híbrido – A realidade atual e pós pandemia?

Publicado por Jessica Leme em

Pessoal, hoje trago uma discussão super atual dentro da educação não só brasileira mas mundial, a inserção da modalidade de Ensino Híbrido.

Afinal, como vai ficar a educação?

Nesse sentido, temos aqui no site outro artigo, Como fica a educação em tempos de pandemia? , que vale a pena ser lido antes dessa discussão.

Como o título sugere trago a pauta a questão do Ensino Híbrido, muito criticado, porém, já pensado anteriormente à realidade da Pandemia causada pelo Corona Vírus.

Certamente, a escola como era até março de 2020, nunca mais será a mesma. Desde a distribuição das salas, em número menor de alunos, carteiras espaçadas, mais espaços para higiene e melhor ventilação. Assim como, novas metodologias de ensino que buscaram o menor tempo de permanência na sala de aula.

Afinal como é o Ensino Hibrido ?

Imagem descrevendo a modalidade de Ensino Híbrido: um homem sentado diante de um computador e outro diante de livros.
FONTE: https://www.educamundo.com.br/blog/ensino-hibrido-beneficios

O Ensino Híbrido em resumo, busca mesclar o estudo presencial em ambiente escolar, com o estudo a distância.

Certamente, várias situações são levadas em consideração quando pensamos no Ensino Híbrido na realidade brasileira, muitas delas foram escancaradas diante da Pandemia.

Primeiramente, nossos alunos em sua grande maioria não tem acesso a tecnologia básica, internet e condições de estudar em casa. Não apenas pensando na debilidade social de boa parte das famílias brasileiras, mas também pensando nas características dos alunos que tínhamos até março de 2020.

O papel do professor no Ensino Híbrido:

fonte: https://eadbox.com/o-que-e-ensino-hibrido/
  • No ensino presencial, orientação do professor
  • No ensino a distância, usa se o conteúdo base, no presencial a prática
  • Professor com domínio das tecnologias educacionais
  • O professor, deverá mediar a relação do aluno com o uso da tecnologia, para gerar um conhecimento crítico
  • O professor deve buscar aos alunos as diversas formas de se obter conhecimento
  • Saber orientar as atividades que envolvem tecnologia, levando em consideração o que pretende obter daquela atividade

O papel do Aluno no Ensino Híbrido:

https://neriteduca.com.br/blog/ensino-hibrido-adote-em-sua-instituicao
Aluno com autonomia para estudar sozinho

A princípio, o aluno deverá desenvolver sua técnica de estudo, que lhe irá proporcionar melhor aprendizado.

Fica a critério do aluno, estabelecer quando e por quanto tempo deverá estudar, se diariamente ou não, por exemplo

Está nas mãos do aluno levar seus questionamentos ao professor, visto que a interação com o mesmo será em menor tempo

Nesse sentido, o aluno precisa ser protagonista de seu aprendizado.

Nossos alunos tem essa autonomia?

A proposta para o Ensino Híbrido foi pensada como disse, anteriormente a Pandemia, mas diante da parada total das escolas no mundo todo, foi a única opção possível.

Assim, todos os Estados, instituições particulares passaram em questão de dias a desenvolver ou aprimorar suas plataformas de ensino a distância.

Aplicativos e Plataformas

Desenvolveram se Apps, aumentou se a capacidade de plataformas já existentes, professores e alunos tiveram que mesmo durante o processo do ano letivo se readaptar e aprender a aprender e ensinar de maneira 100% remota.

Ainda no ano de 2020, muitas cidades, e muitos Estados ainda discutem a volta ou não das aulas presenciais. Mesmo que estabelecendo protocolos de higiene e segurança em relação ao vírus.

O que se sabe, é que em 2021, a vacina não estará pronta e aplicada até o início do novo ano letivo, que em geral inicia se em fevereiro. Portanto a suspensão das aulas até pode se manter em 2020, mas ela tem data limite e está próxima.

Uma das opções para tentar conter a contaminação que as escolas podem proporcionar, pelo simples fato de em sua natureza aglomerarem muitas pessoas em pequenos espaços de sala de aula, é a implementação do Ensino Híbrido.

A ideia é que os alunos frequentem as escolas um número menor de dias durante a semana. E que nesses momentos o aluno se dedique a tirar dúvidas, desenvolver atividades práticas ou que exijam trabalho em equipe.

Ideias para trabalho no modo Ensino Híbrido:

O professor como vimos nos tópicos também terá que se manter em constante transformação. Pensar em atividades em que os alunos possam desenvolver sozinhos, crítica, argumentação, compreensão dos temas é um desafio!

Na disciplina de História, proponho aqui o sistema conhecido como:

Sala de Aula Invertida

Na prática, o professor vai proporcionar aos seus alunos o conhecimento base sobre determinado tem. Espera se que o aluno realize a leitura, pesquisa, revisão acerca do tema proposto.

É nesse momento que surge o protagonismo do aluno, visto que essa atividade será a distância.

Escolhi um tema que pode ser trabalhado também pela disciplina de Geografia e Sociologia visto que o Ensino Híbrido também preza pela interdisciplinaridade.

Infográfico que explica como funciona a sala de aula invertida, modalidade que faz parte do Ensino Híbrido.
FONTE: https://www.professorfiorin.com/2020/05/ensino-hibrido.html

Tema: Tensões Geopolíticas – Soviéticos e Estadunidenses : O uso dos super-heróis

Os super-heróis sempre chamam atenção dos alunos, tanto no ensino fundamental quanto no médio, pois é algo que permeia a cultura deles. Aqui no site temos outro artigo intitulado Super-Heróis na aula de História, que vale a leitura pra que você possa se inteirar mais de como usar essa ferramenta para o ensino de História.

No sistema de sala de aula invertida num primeiro momento, o professor encaminha uma série de textos a acerca do tema, para leitura e estudo do aluno.

Sugestões:

5 personagens de HQ que surgiram na Guerra Fria

https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/historia-5-personagens-de-hq-que-surgiram-na-guerra-fria.phtml

Como a História inspirou os maiores super – heróis dos quadrinhos

https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/historia-super-herois.phtml

Quadrinhos e Guerra Fria – Gibis retratam o conflito entre EUA e URSS

https://educacao.uol.com.br/disciplinas/historia/quadrinhos-e-guerra-fria-gibis-retratam-o-conflito-entre-eua-e-urss.htm

Como vimos no infográfico, o aluno recebe o tema base e daí em diante faz suas própria pesquisa, anota suas dúvidas.

Ao retornar para a sala de aula, com o tema já estudado o aluno terá a orientação do professor para sanar dúvidas, assim como o professor deverá encaminhar uma atividade que possa ser realizada em grupo.

Trabalhando o tema proposto:

Primeiramente, direcione as pesquisas dos alunos no sentido em que eles possam perceber aspectos dicotômicos entre URSS e EUA.

Saliente a importância dos alunos compreenderem o que era o mundo bipolar do período da Guerra Fria.

Enquanto momento presencial, proponha aos alunos um debate sobre as pesquisas realizadas no momento em que estavam em casa.

Dessa forma, os colegas podem ver como cada um direcionou sua pesquisa, o que descobriu sobre o tema, se há semelhanças nas informações ou não.

Debate

Nesse momento o professor como mediador do debate instiga com perguntas a criticidade daquilo que os alunos pesquisaram.

O papel do professor é primordial para que os alunos entendam e percebam a importância do seu trabalho em casa, por isso, na modalidade do Ensino Híbrido, espera se que o professor tenha domínio da teoria, visto que em momento de ação seja assertivo.

Atividade em grupo:

Proponha aos alunos que eles criem a partir da lógica da Guerra Fria, super-heróis com pautas atuais. Exemplo: meio ambiente, armamentos, imigrantes, empoderamento feminino. Seria interessante, criar o herói e seu antagonista.

Não esquecer de salientar a importância da idumentária de cada personagem, poderes, etc.

Para finalizar, mais uma rodada de debates sobre as leituras que levaram o aluno a produzir aquele herói/vilão. Lembrando das intencionalidades para a cultura de massa que produções dessa forma tem, fomentando discursos, criando preconceitos, afirmando ideias, etc.

Espero que tenha sido útil sua leitura até aqui! Sempre estamos abertas a colaboração de nossos colegas professores.

Até a próxima!

Referências Bibliográficas:

BACIC, Lilian. NETO, Adolfo Tanzi. Ensino Híbrido, Personalização e Tecnologia na Educação.

O que é o ensino híbrido?

Ensino Híbrido – o que é?

Ensino Híbrido: conheça o conceito e entenda na prática


Jessica Leme

Professora Mestre em História Cultural e Graduada em História Licenciatura na Universidade Estadual de Ponta Grossa. Pesquisa História e Fotografia; Nova História Política; Atualmente leciona na Rede Pública do Estado de São Paulo.

2 comentários

Antonio j. O. Cruz · 23/09/2020 às 09:37

Após ler e reler as informações, fiquei pensando em como sou um cara de sorte. Professor de História, adoro sê-lo, formado em 2002 pela Universidade Católica de Santos. Não sei se a minha turma foi foi a última, acredito que não, mas toda a temática para o exercício da carreira docente, era pautada em um único propósito: os alunos(as) são um cérebro oco à espera de ensinamentos para preenche-lo até que a morte interrompa o processo.
Iniciei a carreira como professor eventual em escola pública do Estado, onde já havia tido a sorte de ser contemplado com o estágio de observação e mais adiante ganhei de presente, o melhor da minha vida até hoje, o estágio obrigatório. Com direito a um dinheirinho que para todos é sempre bem vindo.
E veio a formatura para orgulho meu, da minha grande incentivadora e mais amada mulher da minha vida, a minha esposa, acompanhada dos quatro filhos (três mulheres e o varão o mais velho). Os presentes, logicamente familiia e convidados dos formandos se dirigiam a mim como sendo algum professor da turma, já que o cabelo, quase todo branco, era a referência mais original para os padrões brasileiros, de que eu não podia ser um aluno. Só podia ser um dos professores da turma. E perguntavam: O Sr é professor de quê? Assim mesmo, Jessica “de quê”? E a minha amada toda orgulhosa se adiantava e respondia por mim em voz alta: ELE É FORMANDO!!!. E eu me sentia o homem mais realizado do mundo.
E assim, iniciei oficialmente no ano de 2003 a carreira de professor de História.
E tudo transcorra maravilhosamente bem. Eu aposentei da atividade na indústria (em Cubatao SP)
e me sentia um homem realizado. Minha familia me ajudou muito nesse início, como uma forma de agradecer por ter lhes proporcionando o que de melhor eles podiam ter como formação para ingressarem no mercado de trabalho.
Veja querida Jéssica, o único da familia que não completará o que seria a sua a maior realizacao sou justamente eu.
E ai a Pandemia chegou e eu, assim como toda a maior parte da nossa categoria, fomos pêgos de surpresa. Vieram as aulas on line para uma maioria que só dispunha do celular, muitos como eu com aparelhos antigos porquê nem podíamos sequer mostrar celular para os alunos em sala de aula. E os alunos, tadinhos, eram severamente repreendidos quando mostravam seu aparelhos como sendo o brinquedo mais legal que papai ou mamãe lhe deram graças às facilidades das dez prestações srn juros.
Voltemos a mim,. Eu que fui chamado a atenção e mal visto visto por colegas e gestores das escolas, já que permitia a consulta ao celular pelos alunos em muitas lições e avaliações me vejo agora sem rumo porque nunca imaginei que num futuro tão próximo setia tão necessário e oportuno.
Para terminar, querida Jéssica, eu que tantas alegrias acumulei nestes últimos 17 anos da minha vida, me vejo agora sem saber o que fazer. Meus filhos me incentivam a aposentadoria definitiva o que é muito legal. Mas eu, vejo a morte chegar muito mais rápido do que imaginei. Mas, nunca vou falar isso a eles. Seria uma injustiça.
Ass PrifantonioHistoria

    Jessica Leme · 23/09/2020 às 17:05

    Poxa, lindo relato. Só queria pontuar algumas coisas, aposentar realmente seria o caminho mais fácil, mas se você ainda sente que pode contribuir para a educação continue. Desafios enormes estão diante de todos os professores do mundo nesse momento. Não é fácil para ninguém, mesmo que tenha a melhor tecnologia ao seu dispor. Ser professor também é aprender, e no atual momento é aprender fazendo porque não teremos tempo de nos preparar porque a necessidade é imediata. Espero que algumas dicas do ensino a distância tenham te ajudado. Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *