Comunismo: afinal, o que é essa ideologia?

Publicado por Caroline Dähne em

Em tempos de polarização política, muito se fala sobre o Comunismo, mas você sabe no que realmente ele consiste?

A fim de abordar temas relacionados com a História, hoje iniciamos uma coluna, aqui no Nas Tramas de Clio, dedicada à textos de autores convidados. Desse modo, para começar, convidamos o Jornalista e Cientista Político Luan Azevedo, para explicar esse conceito.

Post para o Instagram com o título do texto: Comunismo, o que é?

Prólogo: algumas observações

O Comunismo como episódio na história está sempre marcado com maior proximidade nos estudos escolares com a Revolução Industrial, ou mesmo com a Revolução Russa e sua trajetória política. Que aliás, se torna muito conturbada com os adventos de diversos grupos disputando o poder ao longo dos séculos.

Dessa forma, antes de comentarmos alguns aspectos mais substantivos para responder nossa pergunta principal temos o dever de fazer duas observações, uma primeira de caráter científico e a segunda de caráter teórico. 

Comunismo: caráter científico

A primeira remete aos rótulos, que usualmente são muito enganosos, porque qualquer um pode pegar um rótulo à vontade e “pespegá-lo” na testa, diria João Ubaldo Ribeiro (1998, p. 124).

Então, tentaremos apenas caracterizar o Comunismo, sobre suas bases teóricas de acordo com o Dicionário de Política do prestigiado cientista político, Noberto Bobbio (1983), dando algumas pinceladas de contexto e história, para expor ao leitor.

Comunismo: caráter teórico

A segunda observação de cenário teórico já nos encaminha para tentarmos responder a pergunta, o que é Comunismo? De forma breve: uma ideologia. Todavia, tal visão se torna insatisfatória para se explicar, então iremos um pouco mais fundo na descrição de alguns elementos.

O significado de ideologia – de forma mais simplificada possível –, pode ser traduzida como um conjunto de ideias e de valores que tem como função orientar os comportamentos políticos coletivos (BOBBIO, 2013, p. 595).

Logo, trazendo esse entendimento do que é ideologia para nossa resposta, cabe alertar que a ideologia fica sempre distante das experiências históricas, e a maior prova disso são que na maioria das vezes elas não são realizadas por aqueles que as criaram.

O Comunismo antes de Marx

Indo direto ao ponto, para validar as afirmações do que é Comunismo e esclarecer melhor o leitor, cabe fornecer algumas informações mais gerais. A primeira aparição desse termo a ganhar destaque é na República de Platão (380 a.C.), que aponta para a exclusão da propriedade privada com o objetivo de acabar com o fim do conflito entre o interesse privado e o Estado.

Essa característica principal fornecida por Platão aponta para algo pouco divulgado, que isso ocorreria apenas para as classes superiores. Já que as classes inferiores, como os agricultores e escravos, deveriam permanecer em uma organização econômica de produção (pode ser entendido como um capitalismo primitivo).

Deve-se então distinguir que o Comunismo não tem origem com Marx, o que muitos tem em mente ao questionar o que é essa ideologia. Trata-se de um conjunto de ideias que foi “filosofada”, ou melhor, pensada, por diversos autores e perpassa por longos períodos, inclusive pela igreja[1], para chegar no Marxismo.

Entretanto, para não perdermos nosso foco, vemos que Platão antecipa o que Karl Marx (1818-1883) irá se debruçar um pouco mais. Que seria entender a origem desse conflito, ao observar uma sociedade em conflito e dividida em classes.

Marx então se torna o principal expoente dessa ideologia. O autor tenta traduzir os eventos históricos do Século XIX, da influência da Revolução Industrial e a ebulição das organizações sociais ocorrendo no contexto socioeconômico da Europa, da qual se via um capitalismo em plena ascensão.

Fotografia de Karl Marx feita pelo fotógrafo John Jabez Edwin Mayall.
Retrato de Karl Marx (1818–1883)
Fotografia: John Jabez Edwin Mayall/Internationaal Instituut voor Sociale Geschiedenis

Tentemos entender o que motivou o Marx

O filósofo alemão volta seu olhar para a maioria absoluta da população que estava vivendo em condições precárias no trabalho. Nesse cenário, é possível entender porque a teoria marxista pregava a luta de classes, já que Marx visitava fábricas e debatia o contexto – caótico – com seu colega Friedrich Engels (1820 – 1895).  

Karl Marx busca então explicar em seus livros filosóficos sobre a exploração dos trabalhadores. Alguns relatos apontam que alguns operários permaneciam nas indústrias por até 16 horas diárias e eram obrigados a levar seus filhos para o trabalho. Que, em muitos casos, ficavam expostos em um ambiente nada agradável para crianças.

A partir desses pontos abordados, podemos então resumir que o Comunismo é uma ideologia política e socioeconômica que tem como objetivo promover o estabelecimento de uma sociedade igualitária, na qual não existam classes sociais e que seja baseada nos meios de produção como propriedade de todos os indivíduos.

Em termos prático, quem seriam donos dos meios de produção (fábricas) seria a classe trabalhadora. O Comunismo se estabelece com Marx como um passo para que se forme uma sociedade apátrida, ou seja, sem estar sob a regência de um Estado.

Comunismo X Capitalismo

Outra característica do Comunismo é considerar como a antítese do capitalismo, por apontar que a propriedade privada do capital é abusiva, servindo a uma minoria. Para Marx isso seria um dos pontos principais da qual geraria conflitos e desigualdade.

Burguesia

Como último ponto essencial a ser desmistificado quando se pergunta sobre Comunismo e Marx, é que a concepção marxista não faz nenhuma condenação moralista da burguesia. Pelo contrário, em seu Manifesto (1848), Marx adota uma postura respeitosa e a vê como classe importante para uma mudança do cenário socioeconômico.

Etimologia

Por fim, há um subterfúgio usado de forma mais prática para responder essa questão: a etimologia (origem da palavra). Assim, Comunismo: do francês communisme; derivado de commun; do latim clássico communis: “aquilo que pertence a todos ou a muitos”.

Comunismo: Conteúdo para aprofundamento

HOBSBAWM, Eric J. Revolucionários. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1982.

ENGELS, Friedrich. Princípios de Comunismo e Outros Textos. São Paulo, Mandacaru, 1990.

MARX, Karl & ENGELS, Friedrich. O Manifesto Comunista. 3ª edição, São Paulo, Global, 1988.

Referências:

BOBBIO, Noberto. Dicionário de política I. Brasília. Ed: Universidade de Brasília, p. 401, 1998.

MARX, Karl. Manuscritos Econômicos-Filosóficos. In: FROMM, Erich. Conceito Marxista do Homem. 8ª edição, Rio de Janeiro, Zahar, 1983.

MARX, Karl. O Capital. Vol. 2. 3ª edição, São Paulo, Nova Cultural, 1988.

MARX, Karl. O Dezoito Brumário e Cartas a Kugelmann. 5ª edição, Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1986.

PLATÃO. República. Tradução Maria Helena da Rocha Pereira. 9. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbbenkian, 2001.

RIBEIRO, João Ubaldo. Política: quem manda, por que manda, como manda. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1981.


[1] Atos dos Apóstolos; Francis Bacon; Gracchus Babeuf e Filippo Buonarroti; James Harrington; Thomas Morus entre outros.

Autor convidado para falar sobre o Comunismo. Foto de Luan Azevedo, jornalista e Cientista Político.

Caroline Dähne

Mestre em História, Cultura e Identidades e graduada em Licenciatura em História pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Desenvolve pesquisas relacionadas a Segunda Guerra Mundial, Discursos jornalísticos, Patriotismo e Nacionalismo, Imprensa brasileira e Propagandas de guerra. Atualmente atua como professora de História na rede particular de ensino na cidade de Curitiba-PR.

3 comentários

José Neto Vieira Damasceno · 13/06/2020 às 07:14

Permita-me fazer uma observação e um questionamento sobre esse ponto logo no início: Quando você menciona que o comunismo já existia muito antes de Marx na Grécia antiga, sugerido e analisado por Platão, isso historicamente não seria um anacronismo, visto que não podemos, ou pelo menos não é interessante expor ou associar termos de uma determinado período em momentos anteriores à sua real existência????

    Jessica Leme · 14/06/2020 às 18:23

    Olá obrigada pelo comentário, repassei ao autor para o próprio te responder.

      José Andrade · 25/07/2020 às 21:46

      Excelente material, de extrema qualidade e relevância. Gostaria de sugerir que a resposta da pergunta anterior pudesse ser compartilhada. Embora não concorde com os questionamentos do nobre colega que formulou o comentário eu gostaria de saber a posição do autor do artigo. Muito obrigado e continuem com esse maravilhoso trabalho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *