Belém do Pará: Viagem + História

Publicado por Caroline Dähne em

Continuando nosso especial de férias que reúne dicas de locais históricos para visitar durante suas viagens, hoje vamos falar da cidade de Belém, capital do estado do Pará.

Post do Instragram com um fundo de mapas, foto do Mercado Ver-o-Peso e o título da publicação: Belém do Pará Viagem + História.

Fundada pelos colonizadores portugueses em 1616, a cidade foi um importante entreposto comercial durante o Período Colonial brasileiro. Posteriormente, foi cenário da Cabanagem, revolta popular que pretendia a independência da Província do Grão-Pará durante o Brasil Império. E, por fim, uma das capitais brasileiras mais desenvolvidas na chamada Belle Époque Amazônica no Ciclo da Borracha.

Enfim, hoje, a cidade é a segunda mais visitada na Amazônia e reúne uma variedade de opções de turismo, desde histórico, gastronômico até o ecoturismo.

Lugares para aprender história passeando em Belém

Assim, se você está programando sua viagem de férias escolares que tal seguir nossas dicas e incluir Belém no roteiro?

Mercado Ver-o-Peso

Considerada a maior feira ao ar livre da América Latina, o Mercado Ver-o-Peso está localizado às margens do rio Guamá e possui um complexo com 25 mil m² de construções históricas onde é realizado o comércio de produtos da região. Em 1977 foi tombado pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) como Patrimônio Material de Belém do Pará.

Certamente, lá você pode ter contato com a culinária local bastante peculiar, não dá para visitar o local e não provar o prato de açaí com peixe frito ou os sucos de frutas típicas como o cupuaçu. Além disso, no Ver-o-Peso você encontra artesanato paraense, temperos tropicais, castanhas-do-pará, frutas e peixes dos rios da região.

Aliás, também estão lá as famosas banquinhas das “mandingueiras” que vendem o “banho de cheiro” ou “garrafadas”, perfumes feitos de ervas para atrair todo tipo de sorte. Dessa forma, a tradição centenária de herança indígena, traz nomes que prometem os efeitos de “amansar chefe”, “chora nos meus pés”, “pega homem”, “chama dinheiro”, “amansa corno”, “pega e não larga”, “quebra inveja”, entre tantos outros.

Imagem com fotografias do Mercado Ver-o-Peso.
Mercado Ver-o-Peso
Acervo Pessoal, 2015
História

Construída em 1625, segundo o IPHAN, a Casa de “Haver o Peso” funcionava como um posto de fiscalização e controle alfandegário na Amazônia, na qual era realizada a pesagem das mercadorias para verificar os impostos que seriam repassados para a Coroa Portuguesa.

Isso porque, durante o período da Colônia e do Império, Belém era considerada o maior entreposto comercial da região, onde eram verificados até o ano de 1839 os produtos conhecidos como “Drogas do Sertão” extraídos da Floresta Amazônica.

Então, após a extinção da Casa de “Haver o Peso”, o local passou a abrigar o comércio de produtos da região. Posteriormente, no ano de 1899 foi construído o Mercado de Ferro, uma construção feita durante o Ciclo da Borracha com influências francesas e que hoje abriga o Mercado Ver-o-Peso.

Visitação

Todavia, o horário do funcionamento da feira depende do setor que você quer visitar. Por exemplo, as movimentações por lá iniciam as 3h30 da madrugada com a chegada dos que participam da feira do Açaí.

Nesse sentido, o Mercado de Peixe funciona das 6h da manhã até as 14h da tarde. Enquanto que o restante das barracas ficam abertas diariamente ao longo do dia.

Impressão

Certamente o Mercado Ver-o-Peso tem a cara do Brasil, e é uma ótima oportunidade para experimentar frutas que não vemos em outros lugares do país e comprar artesanatos a preços acessíveis para presentear quem não foi com você na viagem. Nesse sentido, as garrafadas fazem o maior sucesso como lembrancinha para os amigos.

Estação das Docas em Belém

O Complexo Turístico e Cultural foi criado em 2000 onde antes ficava o Porto de Belém. Assim, o espaço de 32 mil metros² é dividido em três Armazéns: o Boulevard das Artes, o Boulevard da Gastronomia e o Boulevard das Feiras e Exposições.

Então, nesses espaços você encontra diversos atrativos, como lojas, exposições culturais, barzinhos e quiosques de comida. Assim como, na parte externa estão em exposição alguns guindastes do século XX que foram utilizados no Porto e uma Máquina a Vapor fabricada por volta de 1800.

Além disso, alguns projetos vinculados à Estação das Docas e que merecem a visitação são o Memorial do Porto, uma exposição gratuita e permanente que conta a História da Navegação no Pará. Assim como, o Projeto Por do Som, que todas as sextas-feiras traz às 18h30 apresentações de grupos de dança folclórica da região, como o Carimbó.

Imagens de apresentação de danças folclóricas no projeto Por do Som.
Projeto Por do Som na Estação das Docas
Arquivo Pessoal, 2015.
Visitação

Nesse sentido, o horário de visitação varia de acordo com o espaço pretendido, geralmente entre as 10h até as 00:00 em dias de semana e das 9h às 2h da manhã nos fins de semana.

Mais informações sobre a visita no telefone 91 3212-5525. 

Impressão

Certamente, no tempo em que morei na cidade a Estação das Docas era um dos meus lugares preferidos para passar o fim de tarde. Nesse sentido, não deixe de experimentar o sorvete de tapioca e assistir as atrações do Projeto Por do Som.

Forte do Presépio em Belém

Igualmente conhecido como Forte do Castelo ou Forte do Senhor Santo Cristo, foi a primeira construção feita em Belém, logo na chegada dos portugueses na região em 1616.

Então com o objetivo de defender o território contra as invasões de outros países, principalmente franceses e holandeses, o forte também abrigou a primeira igreja da cidade.

Entre 1617 a 1621 sofreu ataques, mas não de países de fora e sim de indígenas, durante o levante dos Tupinambás. Enquanto que, já entre 1835 a 1840, foi utilizado como quartel general dos revoltosos que participavam do movimento da Cabanagem.

Imagem com fotografias do Forte do Presépio em Belém.
Forte do Presépio.
Arquivo Pessoal, 2015.
Museu

Assim, o forte, tombado pelo IPHAN em 1962, atualmente abriga o Museu do Forte do Presépio, que além da mostra sobre sua edificação e a artilharia militar, também tem exposições voltadas à colonização dos portugueses na Amazônia e artefatos indígenas e pré-históricos encontrados na região. O pátio abriga uma exposição permanente de canhões originais.

Visitação

Para visitar o Museu é necessário adquirir o ingresso ao custo de R$: 4,00 a inteira e R$:2,00 a meia. Nas terças-feiras a entrada é gratuita para todos os visitantes.

Terça a domingo 10h as 18h

Mais informações sobre a visita no telefone 91 4009-8826. 

Impressão

Além da própria construção e do museu em si, a vista que temos quando estamos no Forte é sensacional. Lembro que fiquei muito impressionada com o tamanho do rio que o cerca e que parece mar.

Catedral Metropolitana de Belém

Igualmente conhecida como Catedral da Sé, a igreja faz parte da chamada Feliz Lusitânia, nome utilizado pelos portugueses para designar o núcleo inicial de Belém e que hoje faz parte do complexo histórico da cidade velha.

O início da obra da atual igreja começou no ano de 1748 mas só foi finalizada em 1774, passando ao longo do tempo por outras reformas. Enquanto que por fora ela tem um estilo neoclássico e barroco, no seu interior possui diversas pinturas do século XIX feitas por artistas renomados do período. Assim como, possui um órgão da oficina Aristides Cavaillé-Coll de Paris, considerado o maior da América Latina, acrescentado à igreja em 1882.

Além da sua arquitetura e as pinturas do interior, a Catedral da Sé é famosa por ser a igreja da qual sai a imagem de Nossa Senhora de Nazaré durante a procissão do Círio de Nazaré.

Imagem da Catedral da Sé em belém do Pará.
Catedral da Sé
Arquivo Pessoal, 2015
Círio de Nazaré

Considerada pelo IPHAN como Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial em 2004 e pela Unesco como Patrimônio Imaterial da Humanidade em 2015, o Círio de Nazaré uma procissão católica que reúne mais de 2 milhões de fiéis todos os anos.

Nesse sentido, a festividade acontece sempre no segundo domingo do mês de outubro, saindo da Catedral em direção à Praça Santuário de Nazaré, com um percurso estimado de 3,6 km, passando por ruas que tem as casas enfeitadas em homenagens à Santa.

Visitação

A Catedral tem funcionamento normal para missas, casamentos, batizados e outros sacramentos, então é preciso tomar cuidado com os horários para realizar as visitas.

Segunda 14h as 20h30

Terça a sexta 7h30 as 10h   16h as 20h

Sábado 7h30 as 10h   16h as 20h

Domingo 6h30 as 12h   16 as 20h

Mais informações sobre a visita no telefone 91 2121-3724. 

Viagem + História

E você, quando viaja costuma reparar na história dos lugares que visita?

Nas próximas semanas continuaremos com o especial de férias, trazendo mais sugestões de lugares históricos para visitar nas suas viagens pelo Brasil.

Referências Bibliográficas:

IPHAN. Ver-o-peso.

MORIM, Júlia. Forte do Presépio/Forte do Castelo. Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em:

FORTALEZAS.ORG. Forte do Castelo do Senhor Santo Cristo do Presépio de Belém.

ARQUIDIOCESE DE BELÉM. Paróquia Nossa Senhora da Graça – Catedral Metropolitana

ESTAÇÃO DAS DOCAS. Conheça a Estação das Docas.


Caroline Dähne

Mestre em História, Cultura e Identidades e graduada em Licenciatura em História pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Desenvolve pesquisas relacionadas a Segunda Guerra Mundial, Discursos jornalísticos, Patriotismo e Nacionalismo, Imprensa brasileira e Propagandas de guerra. Atualmente atua como professora de História na rede particular de ensino na cidade de Curitiba-PR.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *