Zé Carioca e a Identidade Nacional

Publicado por Caroline Dähne em

Zé Carioca: Papagaio, ave nativa do Brasil + um abraço apertado + um golinho de cachaça + um samba improvisado. Assim temos o jeitinho brasileiro transmitido nos telões de cinemas mundo afora em 1942.

“Saludos Amigos”

A animação de longa metragem “Saludos Amigos”, na tradução “Alô Amigos”, produzida pelos estúdios Disney se passa na América Latina. Nesse sentido, o filme retrata dois personagens clássicos, Pato Donald e Pateta, visitando o Peru, o Chile, a Argentina e, por fim, o Brasil.

É evidente que o filme fez muito sucesso no seu lançamento, já que recebeu três indicações ao Oscar de 1943 e rendeu uma nova animação sobre a América Latina nos anos seguintes.

Cartaz de propaganda do filme Saludos Amigos. Disney. 1942.
Cartaz de propaganda do filme Saludos Amigos. Disney. 1942.
Esteriótipo  

Dessa forma, “Alô Amigos” foi a apresentação do personagem recém criado, Zé Carioca, que até hoje é alvo de discussões entre os brasileiros.

Assim, há os que se orgulham do fato de ter um personagem brasileiro criado pela Disney; da mesma forma, há os que acreditam que a imagem que ele transmite é péssima pois só perpetua esteriótipos; bem como, há aqueles que o utilizam nas aulas de história para debater sobre as opções anteriores. 😉

AULA: ZÉ CARIOCA E A IDENTIDADE NACIONAL BRASILEIRA

Post do Instagram com imagem do Zé Carioca e o título da publicação.

Primeiro passo: “Alô Amigos”

Geralmente quando indico a utilização de filmes em sala de aula, recomendo o uso de uma ficha técnica pronta com detalhes sobre a sua produção. No entanto, nesse caso, como a atividade pretende uma discussão com o conhecimento prévio dos alunos, não é necessária sua utilização. Desse modo, a aula pode ser inciada diretamente com o filme para daí levantar alguns questionamentos.

Segundo passo: Análise do trecho do filme

Primeiramente, esse é o momento de combinar a percepção que tiveram do filme com o conhecimento prévio dos alunos. Para isso, você pode elaborar algumas questões norteadoras para que eles respondam no caderno ou oralmente.

Sugestões:

Que imagem de brasileiro o filme retrata?

Que tipo de brasileiro o Zé Carioca representa?

O que nos define enquanto brasileiros?

O que nos faz pertencer a uma nação?

Como você descreveria um brasileiro?

O que levaria a Disney a criar o Zé Carioca, um personagem brasileiro?

Terceiro passo: Brainstorming

Por conseguinte, depois dos alunos refletirem sobre as questões levantadas, é importante que seja retomada as impressões que os alunos tiveram em sua análise. Dessa forma, para isso, indicamos a técnica do Brainstorming, na tradução tempestade de ideias.

Nesse sentido, essa dinâmica de grupo permite que o professor vá anotando no quadro as palavras que os alunos associam às respostas dos questionamentos levantados no passo anterior.

Tempestade de Ideias

Assim, quanto mais sugestões, melhor será o diálogo com o conteúdo. Portanto, lembre de não rejeitar nenhuma sugestão, já que alguns dos questionamentos eram muito pessoais.

Contudo, caso alguma resposta pareça de alguma forma inadequada, procure algum sinônimo ou englobe em alguma categoria mais aceitável. Nesse sentido, também procure incentivar que todos participem desse momento da atividade.

Quarto passo: Mapa Mental

A partir desse momento a aula fica mais expositiva, mas o professor pode continuar contando com a colaboração dos alunos, fazendo perguntas ocasionais sobre o que está prestes a explicar. Dessa forma, tornando o aprendizado mais significativo através da colaboração mútua.

Em seguida, no espaço restante do quadro, inicie um Mapa Mental, esquema que concentra o tema principal em destaque e o liga a palavras-chaves que são continuamente associadas a outras palavras-chaves.

Zé Carioca + Identidade Nacional

É evidente que o importante aqui é relacionar o filme e o personagem Zé Carioca com a Identidade Nacional, sem deixar de mencionar quais os interesses envolvidos no processo de produção da animação. Portanto, lembre de mencionar os seguintes aspectos:

POLÍTICA DA BOA VIZINHANÇA          

Evidentemente que explicar a criação do Zé Carioca é falar sobre a política expansionista desenvolvida pelos EUA durante o século XX.

Mais do que os interesses essencialmente pela luta contra o Nazi/Fascismo na Segunda Guerra Mundial, inegavelmente, a estratégia procurava angariar o apoio dos países da América Latina à política capitalista do país.

Bem como, contribuir na economia difundindo o “American Way of Life” através das produções de Hollywood.

PATO DONALD

Indubitavelmente, a visita de um dos principais personagens do período não é aleatória. Desse modo, o Pato Donald foi constantemente utilizado pelo estúdio para divulgar a propaganda estadunidense durante a Segunda Guerra Mundial.

Como exemplo, temos os episódios Donald’s Decision (1941), Donald Gets Drafted (1942), Der Fuehrer’s Face (1943) e Commando Duck (1944).

Pato Donald. Cena do filme Alô Amigos. Disney. 1942.

Cena do filme Alô Amigos. Disney. 1942.

“THE LAND OF THE SAMBA”

Assim como a escolha pelo personagem, as referências constantes ao Rio de Janeiro não são aleatórias. Dessa forma, é importante salientar com os alunos que a cidade no período era a capital do país e que foi estrategicamente reformada no início do século para passar uma imagem de ordem e progresso, tais quais os ideais da República.

Cidade Maravilhosa

Além da importância política, a cidade também representava a porta de entrada para os turistas e investidores do período, sendo assim constantemente propagada através de seus atrativos: belezas naturais e o Carnaval.

Certamente, um outro fator para essa escolha pelo Rio de Janeiro foi a pesquisa realizada pelo estúdio Disney para a criação do personagem Zé Carioca. Já que, os desenhistas enviados ficaram hospedados na cidade, assim como o próprio Walt Disney havia feito anteriormente.

“SAMBA? AH THE SAMBA”

Por certo que o estilo musical retratado ao longo da parte brasileira na animação, que inclusive é nomeada com uma das músicas tocadas ao longo do episódio: Aquarela do Brasil, também reflete o estilo do período.

Donald e Zé Carioca dançam samba no Rio de Janeiro. Cena do filme Alô Amigos. Disney. 1942.
Cena do filme Alô Amigos. Disney. 1942.
Elemento nacional

Em suma, o samba, estilo tradicional brasileiro, foi criado a partir da mistura de elementos nacionais com africanos. Desse modo, geralmente retrata temas cotidianos do dia a dia da população mais pobre do país. Portanto, no Rio de Janeiro, o samba está intrinsecamente ligado à vida nos morros.

Nesse sentido, durante a Era de Ouro do Rádio entre as décadas de 1930 e 1960, o samba ganhou espaço em outras regiões do país, inclusive sendo utilizado como propaganda do Governo Vargas.  

ZÉ CARIOCA

Logo após a ideia original de Walt Disney em uma viagem ao Brasil no ano anterior, o processo de criação do personagem Zé Carioca envolveu um período de pesquisa de campo feito pelos desenhistas.

De tal forma que resultou na imagem de brasileiro transmitida pela animação: uma mistura de elementos culturais brasileiros (samba, malandragem, receptividade, Carnaval, cachaça, “jeitinho brasileiro”) reforçando a imagem “vendida” como atrativo para os turistas.

Zé Carioca abraça o Pato Donald. Cena do filme Alô Amigos. Disney. 1942.

Cena do filme Alô Amigos. Disney. 1942.

IDENTIDADE NACIONAL

Sem dúvida, é importante trabalhar com os alunos o conceito de Identidade Nacional, salientando que se refere à um sentimento de pertencimento e vínculo à uma nação.

Desse modo, explique que os elementos principais que a definem é a comunhão do mesmo território de origem, da mesma língua nativa e dos costumes e cultura em comum.

Múltiplas Identidades

Por outro lado, aqui é importante salientar que nós não temos uma única Identidade e sim múltiplas, como a nacional, religiosa, cultural, entre outras.

Assim como é essencial apontar que, embora tenhamos uma Identidade Nacional, nosso país é marcado pela diversidade regional, o que gera muitas diferenças de identificações de um local para outro.

Intenções Políticas

Dessa forma, nesse tópico, também é preciso destacar que as Identidades são construídas socialmente e que, muitas vezes podem atender a interesses políticos.

Um exemplo disso, são as tentativas do Estado brasileiro em criar uma brasilidade no início do século XX em decorrência da transição do Império para a República.

ERA VARGAS

Certamente que não basta contextualizar apenas com a Segunda Guerra Mundial e as intenções dos EUA, é importante também demonstrar as incoerências da imagem transmitida pela animação com o perfil de brasileiro que o governo Vargas tentava criar.

Nesse sentido, aqui o professor pode apenas comentar a atuação do DIP (Departamento de Imprensa e Propaganda) na censura de sambas que falavam sobre a tradicional figura do malandro e na difusão do perfil de brasileiro trabalhador.

Dessa forma, adicionalmente, pode também, incrementar a aula mostrando letras de sambas originais e a letra após a alteração da censura. Uma sugestão é “O bonde de São Januário” de Wilson Batista (1940).

Quinto passo: Finalização + Exercícios

Seguidamente, solicite que os alunos realizem os exercícios abaixo, em seguida realize a correção.

Questão 1:

(PUC-RS) Zé Carioca, personagem de histórias em quadrinhos e filmes de Hollywood, foi criado por Walt Disney a partir de uma interpretação da figura popular do malandro carioca ligado ao samba e ao carnaval. A criação desse personagem caricatural para representar a identidade nacional brasileira está relacionada com qual dos contextos abaixo?

a) À Primeira Guerra e ao esforço de penetração comercial dos EUA no Brasil.

b) Ao esforço de aproximação e alinhamento do Brasil aos EUA, no contexto da II Guerra Mundial.

c) À internacionalização da economia brasileira da Era JK.

d) À expansão da cultura pop de influência norte-americana na Guerra Fria.

e) Ao imperialismo cultural dos EUA no contexto da ditadura militar.

Questão 2:

(PUC-RS) “Aquarela do Brasil”, de Ary Barroso, foi um samba-exaltação composto num contexto caracterizado pela censura às letras de música que falassem da malandragem e pela utilização política do samba através do rádio – inclusive com a composição de marchinhas de carnaval – no sentido de forjar o consenso político ao redor de um projeto de modernização populista e autoritário, que caracterizou o governo de:

a) Juscelino Kubitschek

b) Eurico Gaspar Dutra

c) Castelo Branco

d) Jânio Quadros

e) Getúlio Vargas

Questão 3:

(Fatec-adaptado) Em 1942, os Estúdios Disney lançaram o filme “Alô, Amigos”, no qual duas aves domésticas se encontram: o Pato Donald e o papagaio Zé Carioca. Este, afável e hospitaleiro, leva o ilustre norte-americano a conhecer as maravilhas do Rio de Janeiro, como o samba, a cachaça e o Pão de Açúcar. A criação de um personagem brasileiro por um estúdio americano fazia parte, naquele momento,

a) da política de boa vizinhança praticada pelos EUA, que viam a América do Sul como parte do círculo de segurança de suas fronteiras durante a Segunda Guerra Mundial.

b) do claro descaso dos norte-americanos com o Brasil, ao criar um personagem malandro como forma de desqualificar o povo brasileiro.

c) do medo que os norte-americanos tinham, porque o Brasil se tornava uma grande potência dentro da América do Sul e começava a suplantar o poderio econômico americano.

d) do projeto de expansão territorial norte-americana sobre o México, projeto esse que necessitava de apoio de outros países da América Latina, entre eles o Brasil.

e) da preocupação norte-americana com a entrada do Brasil na Segunda Guerra, ao lado da Alemanha nazista, e com a implantação de bases navais alemãs no porto de Santos.

Questão 4:

Por fim, realize juntamente com os alunos a resolução comentada da questão do ENEM abaixo, que embora seja da área de Linguagem, utiliza o conceito de Identidade Nacional trabalhado em sala de aula. Além disso, ressalte a importância do tema de maneira interdisciplinar nas provas do exame:

Não tem tradução[

[…]
Lá no morro, se eu fizer uma falseta
A Risoleta desiste logo do francês e do inglês
A gíria que o nosso morro criou
Bem cedo a cidade aceitou e usou
[…]
Essa gente hoje em dia que tem mania de exibição
Não entende que o samba não tem tradução no idioma francês
Tudo aquilo que o malandro pronuncia
Com voz macia é brasileiro, já passou de português
Amor lá no morro é amor pra chuchu
As rimas do samba não são I love you
E esse negócio de alô, alô boy e alô Johnny Só pode ser conversa de telefone


ROSA, N. In: SOBRAL, João J. V. A tradução dos bambas. Revista Língua Portuguesa Ano 4, no 54. São Paulo: Segmento, abr. 2010 (fragmento).
ENEM 2011

As canções de Noel Rosa, compositor brasileiro de Vila Isabel, apesar de revelarem uma aguçada preocupação do artista com seu tempo e com as mudanças político-culturais no Brasil, no início dos anos 1920, ainda são modernas. Nesse fragmento do samba Não tem tradução, por meio do recurso da metalinguagem, o poeta propõe

a) incorporar novos costumes de origem francesa e americana, juntamente com vocábulos estrangeiros. 

b) respeitar e preservar o português padrão como forma de fortalecimento do idioma do Brasil. 

c) valorizar a fala popular brasileira como patrimônio linguístico e forma legítima de identidade nacional. 

d) mudar os valores sociais vigentes à época, com o advento do novo e quente ritmo da música popular brasileira. 

e) ironizar a malandragem carioca, aculturada pela invasão de valores étnicos de sociedades mais desenvolvidas.

ALÔ AMIGOS: O ZÉ CARIOCA EM SALA DE AULA

Certamente existem várias possibilidades de temas que podem ser abordados nas aulas de história utilizando o personagem e a animação como recursos pedagógicos.

Com a aproximação do Carnaval se inicia novamente aquela velha discussão das pessoas “pró-Carnaval” versus os “contra-Carnaval”. E um dos argumentos mais utilizados por quem não gosta da festa é a configuração dela e o esteriótipo de brasileiro que ela propaga: o cara malandro e gente boa, que adora samba e uma boa cachacinha, o povo que vive festando, entre outros.

Nesse sentido, aproveitando a chegada da data e as discussões que ela sempre levanta, os professores podem levantar inúmeros questionamentos e análises em sala de aula. Nossa sugestão pode ser aplicada em diversos momentos na aula de história.


Principalmente na discussão:

do conceito de Identidade Nacional (sempre cobrado em questões do ENEM);

da própria construção do sentimento de Identidade Nacional no início da República Brasileira;

do relacionamento entre Brasil e Eua durante a Segunda Guerra Mundial;

dos interesses da Política da Boa Vizinhança empregada pelos Eua na América Latina;

da Cultura Nacional e esteriótipos propagados;

do perfil de brasileiro transmitido pela animação versus o perfil de brasileiro demonstrado nos sambas do período que eram incentivados pelo governo;

Aquarela do Brasil: Zé Carioca

Cartaz de propaganda da animação Aquarela do Brasil. Disney. 1942.
Cartaz de propaganda da animação Aquarela do Brasil. Disney. 1942.

Enfim, Lembramos que nossa análise é somente sobre a última parte do filme, intitulada: Aquarela do Brasil. Nesse sentido, existem inúmeras outras possibilidades de análises que podem ser realizadas com as outras partes do filme: Lago Titicaca (Peru); Pedro (Chile); El Gaucho Goofy (Argentina).

O filme completo você pode encontrar em: https://www.youtube.com/watch?v=I-_u3K2XZN4

Usou alguma das nossas dicas em sala de aula? Conta pra gente nos comentários 😉


Caroline Dähne

Mestre em História, Cultura e Identidades e graduada em Licenciatura em História pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Desenvolve pesquisas relacionadas a Segunda Guerra Mundial, Discursos jornalísticos, Patriotismo e Nacionalismo, Imprensa brasileira e Propagandas de guerra. Atualmente atua como professora de História na rede particular de ensino na cidade de Curitiba-PR.

2 comentários

Jean · 27/09/2019 às 17:48

Fantástica aula. Fiquei aqui com vontade de ler mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *