Cartaz de Propaganda de Guerra: sala de aula

Publicado por Caroline Dähne em

Durante as duas Guerras Mundiais, o cartaz foi amplamente utilizado para divulgar a propaganda dos países envolvidos no conflito. Nesse sentido, seu baixo custo de produção e divulgação, aliado à transmissão da mensagem de forma rápida e persuasiva, fizeram com que o cartaz fosse um recurso eficaz na mobilização das nações em prol da guerra.

Pensando nessa utilização da propaganda em tempos de guerra, nós preparamos algumas dicas e selecionamos alguns cartazes para a análise em sala de aula.

Publicação do instagram com o título da postagem: Cartaz de propaganda de guerra.

Guerra Total

Uma característica marcante do século XX, de acordo com Hobsbawm (1995), é o modo como as Guerras Mundiais mobilizaram tanto militares quanto civis em torno do objetivo de vencer o conflito. Nesse sentido, o conceito de Guerra Total relaciona a utilização de todos os recursos disponíveis no país para conquistar esse objetivo, seja eles econômicos, industriais ou humanos.

Em primeiro lugar, para garantir que isso ocorresse, era necessário incentivar a população e demonstrar a importância da contribuição de todos para garantir a vitória. É nesse cenário que o cartaz passa a ser visto como um recurso útil para a mobilização da população civil.

Mas afinal, o que é um cartaz?

Segundo Abraham Moles (1987):

Um cartaz moderno será, pois, uma imagem em geral colorida contendo normalmente um único tema e acompanhado de um texto condutor, que raramente ultrapassa dez ou vinte palavras, portador de um único argumento. É feito para ser colado e exposto à visão do transeunte. 

(MOLES, pág. 44, 1987)

Nesse sentido, quando utilizado como propaganda de guerra, o cartaz busca transmitir de maneira rápida uma mensagem que visa convencer o leitor a agir. Então, suas imagens, frases, cores e símbolos pretendem gerar um choque visual em quem o observa, interagindo dessa forma com o inconsciente coletivo e sensibilizando o público.

Cartaz de Propaganda de Guerra

Com a finalidade de entender como funciona o cartaz, é necessário perceber que a propaganda , já em seu conceito, visa influenciar opiniões e/ou comportamentos. Para isso, a propaganda política divulga ideias com mensagens direcionadas a alteração de atitudes.

Nesse sentido, o cartaz de propaganda nas Guerras Mundiais foi utilizado visando principalmente ampliar o número de soldados que compunham as Forças Armadas do país, reforçar o nacionalismo e o sentimento de dever para com a Nação, o estímulo ao racionamento de recursos e a arrecadação de fundos para financiar a participação do país no conflito.

Análise em sala de aula

A atividade de análise de cartazes de propaganda de guerra em sala de aula, pode ser realizada tanto no Ensino Fundamental quanto no Médio, quando se trabalha sobre as Guerras Mundiais.

Para ela, é necessário que o professor programe e organize a atividade de acordo com os recursos disponíveis na escola. Se for possível, é interessante separar os alunos em pequenos grupos e levar as imagens dos cartazes impressas e coloridas para que eles analisem em equipe.

Assim, caso não haja a possibilidade de levar as imagens impressas, outra opção é projetar as imagens utilizando um aparelho de Data Show ou Televisão e realizar a análise com a turma toda. 

Uso do cartaz

De fato, pode ser que em sala de aula, algum aluno te pergunte qual o motivo da utilização de um cartaz e não de outro meio de comunicação que poderia ser mais eficaz.

Lembre de salientar que no início do século XX, alguns meios de comunicação não era de fácil acesso devido ao seu alto custo. Por exemplo, embora bastante popular na década de 1930, nem todas as pessoas possuíam dinheiro o suficiente para comprar um rádio para sua casa, já a televisão só vai se popularizar na década de 1950, ainda assim sendo um objeto bem distante da realidade da maioria da população.

E o jornal? Lembre os alunos que o jornal tinha a necessidade de além do dinheiro para comprá-lo a pessoa ser alfabetizada, o que estava longe de ser a realidade do povo na maioria dos países.

Mas o cartaz também tem frases escritas! 

Sim, mas no caso de pessoas não alfabetizadas, a imagem cumpre o papel da transmissão da informação, justamente por isso que as imagens são tão diretas e de conteúdo explícito. Já que as pessoas não teriam horas disponíveis para ficar analisando sua mensagem.

Características comuns de um cartaz de propaganda

Antes ou depois de realizar a análise, é importante que o professor demonstre para os alunos os elementos que normalmente compõem a estrutura de um cartaz de propaganda de guerra. Nesse sentido, saliente os seguintes aspectos:

  • Líder: normalmente é retratada a figura do líder da nação para criar o reforçar a ideia de que ele é o único capaz de orientar a nação para a sua salvação.
  • Simplificação da mensagem: todos os elementos do cartaz são utilizados para transmitir o recado de forma que gere um fácil entendimento.
  • Inimigo: alguns cartazes buscam sempre fortalecer o nacionalismo através do estímulo ao ódio ao que é diferente, principalmente contra as nações rivais.
  • Preconceitos: para criar a ideia de superioridade da nação é normal os cartazes trazem mensagens que reforçam o ódio ao outro, criando uma figura quase caricata do inimigo baseada nos preconceitos que pré-existem naquela sociedade.
  • Exagero: como precisam transmitir a mensagem de maneira rápida e enfática, os cartazes costumam exagerar para aumentar a possibilidade de convencer a população.
  • Visão oficial: a maioria dos cartazes de guerra são produzidos por órgãos do governo, consequentemente, demonstram aquilo que o poder institucional espera.
  • Sentimento de responsabilidade: muitos cartazes usam a palavra você para que a pessoa que lê a mensagem se sinta importante e, ao mesmo tempo, responsável na necessidade de ajudar a nação.

Estrutura

Um dos primeiros pontos a analisar com os alunos é a estrutura que compõe o cartaz, para isso, de acordo com os cartazes selecionados, elabore questões que direcionem o olhar dos alunos para os principais elementos a serem analisados:

Imagem:

Peça para que os alunos descrevam o que está acontecendo na cena da imagem, quem aparece nela, o que essa pessoa está fazendo, o que ela ou eles estão vestindo, etc.

Símbolos:

Ainda sobre os aspectos visuais, peça para que os alunos percebam se na imagem existem símbolos que identificam a nação que criou o cartaz, como bandeiras, emblemas, ícones, etc.

Cores:

Elemento importante de análise é a escolha das cores utilizadas no cartaz. Isso porque, ela atua de forma inconsciente na transmissão de mensagens e ajuda na associação da mensagem do cartaz com o país que o produziu, já que normalmente são utilizadas as cores que representam a nação. 

Nesse sentido, para saber mais, sobre o uso de cores na transmissão de mensagens, recomendamos o nosso texto:

Frases:

Aqui, a ideia é analisar a mensagem escrita do cartaz, para isso, pode ser necessária fazer a tradução das frases quando utilizar cartazes produzidos por outros países. Nesse sentido, uma dica também, quando possível, realize atividades interdisciplinares, convide o professor de língua inglesa e veja possíveis parcerias para a análise dos cartazes.

Em casos de outros idiomas, garanta a legenda dos cartazes que levará para análise em sala de aula, para que todos os elementos sejam analisados.

Saliente o uso das palavras escolhidas, mostre aos alunos como as frases curtas já transmitem o impacto da informação. Peça para que eles imaginem que estão no início do século num país em guerra lendo aquele cartaz, qual a sensação que eles teriam nesse cenário?

Elementos gráficos:

Outro elemento que às vezes passa despercebido é a grafia que é feita das palavras, tipo de letra, tamanho e as variações entre elas num mesmo cartaz para salientar a ênfase dada a uma palavra específica. Demonstre isso aos alunos e peça para que eles percebam se isso ocorre no cartaz que estão analisando.

Contexto de produção

Em seguida, depois de analisado os elementos que compõem um cartaz de propaganda de guerra, lembre de trabalhar com os alunos o contexto em que eles foram produzidos. 

Nesse sentido, o ideal é que a partir da análise dos elementos, os alunos busquem identificar, sem que o professor diga previamente, qual foi o país que o produziu, qual é a guerra a que ele se refere (1ª ou 2ª Guerra Mundial), e qual o tipo de mensagem que ele transmite.  

Tipos de Mensagens

Os tipos de mensagens que um cartaz de propaganda de guerra transmite variam de acordo com os interesses que o governo espera atingir com eles, dentre os mais comuns estão:

Recrutamento de soldados:

Certamente, um dos modelos mais utilizados, esses cartazes buscam incentivar o alistamento de jovens para compor as Forças Armadas do país e lutar na guerra. Veja alguns exemplos abaixo:

Cartaz de propaganda de guerra: Tio Sam.
FLAGG, James. O Tio Sam Quer Você no Exército dos Estados Unidos. 1917.
Na tradução livre: Eu quero você para o Exército dos Estados Unidos. Recrutamento mais próximo.
Propaganda de guerra: boys come over here, you're wanted.
Governo Australiano. 1915.
Na tradução livre: Garotos venham aqui: Vocês são esperados.
Mobilização nacionalista:

Em seguida, nessa categoria, a intenção é despertar o sentimento de Identidade Nacional, no qual é entendido que todos os membros de uma nação fazem parte de uma irmandade e que é dever de todos garantir a segurança dos seus irmãos e a vitória pela soberania da nação. Veja alguns exemplos abaixo:

Bandeira britânica.
Governo Britânico. Segunda Guerra Mundial.
Tradução livre: Nosso Império está unido contra a tirania Nazista.
Propaganda de guerra alemã.
Governo Alemão. Segunda Guerra Mundial.
Tradução livre: Ganhar a qualquer preço.
Venda de bônus de guerra:

Os bônus de guerra são títulos públicos vendidos pelo governo num baixo valor para financiar os custos da guerra. Nisso, as pessoas se tornam investidores que emprestam dinheiro pro governo e em troca recebem uma rentabilidade posterior, ou seja, o valor que emprestaram + os juros. 

Dessa forma o governo garantia através dessa arrecadação de fundos, que teria dinheiro o suficiente para investir para a vitória do país na Guerra. Essa venda ocorreu inclusive no Brasil, como podemos perceber nos cartazes abaixo:

Cartaz de propaganda de guerra: Bônus de guerra.
Arquivo Nacional. Governo Brasileiro. 1942.
Ajude a esmagar o eixo comprando Bônus de Guerra.
Propaganda de Guerra: Dear god, keep them safe!
Governo dos Estados Unidos. 1942.
Tradução livre: Querido Deus, mantenha-os seguros. Compre títulos e selos de guerra.
Propaganda de Guerra: I gave a man!
SARRA. Governo dos Estados Unidos. 1944
Tradução livre: Eu dei um homem! Você vai dar pelo menos 10% do teu pagamento em títulos de Guerra?
Participação da população civil nos esforços de guerra:

Esses cartazes eram utilizados para que as pessoas buscassem compor o Front Interno do país, ou seja, para que civis contribuíssem de todas as maneiras possíveis para a vitória do país na guerra. Veja exemplos abaixo:

Cartaz de propaganda de Guerra: Seeds of victory.
FLAGG, James. Comissão Nacional de Jardins de Guerra. Governo dos Estados Unidos. 1918.
Tradução Livre: Plante as sementes da vitória. Plante e crie seus próprios vegetais.
Propaganda de Guerra: We're depending on you!
Governo dos Estados Unidos. 1942.
Tradução livre: Estamos dependendo de você. Produza para ganhar.
Cartaz de propaganda de Guerra; Brasil para a vitória.
Governo Brasileiro. Segunda Guerra Mundial.
Cada um no seu lugar! Para a Vitória.
Construção de imagem negativa dos inimigos:

Como dito anteriormente, para criar a imagem de que a sua nação era soberana e, portanto, venceria a guerra, eram comuns cartazes que ridicularizavam o inimigo ou demonstravam eles de forma caricata visando ressaltar suas fraquezas. Como nos cartazes abaixo:

Cartaz de propaganda de guerra: Hitler de cueca.
Governo dos Estados Unidos. 1943.
Tradução livre: Vamos pegá-lo com seus “panzers” para baixo. Nós iremos, se nós continuarmos atirando.
O “Panzers” funciona nesse cartaz como um trocadilho para as calças de Hitler e os carros de combate blindados alemães.
Propaganda de Guerra: Destroy this mad brute.
HOPPS, HR. Governo dos Estados Unidos. 1917.
Tradução livre: Destrua esse bruto louco. Aliste-se no exército dos Estados Unidos.
Celebração de conquistas:

Da mesma forma, esse tipo de cartaz era normalmente utilizado quando o país vencia uma batalha. De modo a estimular o nacionalismo no Front Interno e garantir um maior apoio da população demonstrando que o país estava se encaminhando para a vitória. Veja abaixo um exemplo:

Cartaz de propaganda de guerra: E a cobra fumou.
Governo Brasileiro. 1945.
Vitória dos Aliados. E a cobra Fumou.
Campanhas de guerra:

As campanhas podem variar muito de acordo com o objetivo naquele momento. Existiam cartazes de campanhas desde doação de livros para os soldados até os de arrecadação de fundos, muito comuns nas duas Guerras Mundiais. Observe isso nos cartazes abaixo:

Cartaz de propaganda de Guerra: When you ride alone, you ride with Hitler.
Governo dos Estados Unidos. Segunda Guerra Mundial.
Tradução livre: Quando você dirige sozinho, você dirige com Hitler! Entre para um clube de caronas HOJE!
Cartaz de propaganda de guerra: Loose Talk can cost lives.
HOLMGREN, John R. Governo dos Estados Unidos. 1942.
Tradução livre: Conversa solta pode custar vidas.

Outras possibilidades

No entanto, além da análise dos cartazes de propaganda de guerra em sala de aula, o professor também pode optar por realizar uma atividade de elaboração de cartazes nesses moldes. 

Para isso, basta criar alguns critérios que os alunos precisem atender e sortear os conflitos e países entre os grupos. 

Eles podem criar os cartazes de maneira manual em sala de aula, ou como trabalho de casa de forma digital. 

Sala de Aula

Independente da maneira escolhida, análise ou recriação de cartazes de propaganda de guerra, o importante é o professor perceber que esses cartazes se constituem em um importante recurso para utilizar em sala de aula e estimular o senso crítico dos alunos na análise de propagandas.

Utilizou alguma das nossas dicas em sala de aula? Conte pra gente nos comentários ;)

Referências Bibliográficas:

BORTULUCCE, Vanessa Beatriz. O uso do cartaz como propaganda de guerra na Europa – 1914 – 1918. Observatorio (OBS*) Journal, vol.4- nº 3 (2010), 319-333. 

DÄHNE, Caroline Loise. “O Brasil está presente!” a utilização de cartazes como propaganda de guerra na 2ª Guerra mundial. Anais da 40ª Semana de História DEHIS UEPG e II Encontro do GT Regional Religião e Religiosidades ANPUH PR/SC. Curitiba: Aos Quatro Ventos, 2011, p. 232-255.

DÄHNE, Caroline Loise. “O Brasil de hoje defende o Brasil de amanhã”: Cartazes de propaganda de guerra do Brasil na 2ª Guerra Mundial. Anais do XIII Encontro Estadual de História – A escrita da história ANPUH-PR. Londrina, 2012, vol. 2, p. 47-57.

HOBSBAWM, Eric. Era dos Extremos: o breve século XX: 1914-1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1995. 

MENESES, Ulpiano T. Bezerra de. Fontes Visuais, cultura visual, História visual. Balanço provisório, propostas cautelares. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 23, nº 45, PP. 11-36, 2003.

MOLES, Abraham. O Cartaz. São Paulo: Perspectiva, 1987.

As imagens presentes nessa publicação foram utilizadas com fins educativos. Nas legendas estão as referências do ilustrador, ou governo responsável por sua produção durante as duas Guerras Mundiais. 

Caroline Dähne

Mestre em História, Cultura e Identidades e graduada em Licenciatura em História pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Desenvolve pesquisas relacionadas a Segunda Guerra Mundial, Discursos jornalísticos, Patriotismo e Nacionalismo, Imprensa brasileira e Propagandas de guerra. Atualmente atua como professora de História na rede particular de ensino na cidade de Curitiba-PR.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *